Registro de Direito Autoral – Texto Registrado - Cabeçalho Registro de Direito Autoral – Texto Registrado - Cabeçalho

OS RISCOS EXISTENTES EM ESPAÇO CONFINADO -- 2016-02-21 - 17:10:19 (Dima Lima)

 

 

SERVIÇONACIONAL DEAPRENDIZAGEMINDUSTRIAL–SENAI DEPARTAMENTOREGIONAL DEMATOGROSSO UNIDADESENAICUIABÁ

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

OS RISCOS EXISTENTES EM ESPAÇO CONFINADO

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 FERNANDOJESUSALMEIDA FRANCISCOELZOROCHA BRASIL

JEFFERSON CASTRO BENEVIDES

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

CUIABÁ- MT

 

2016

 

 

FERNANDOJESUSALMEIDA FRANCISCOELZOROCHA BRASIL

JEFFERSON CASTROBENEVIDES

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

OS RISCOS EXISTENTES EM ESPAÇO CONFINADO

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Trabalhodeconclusãodecurso, elaborado pelosalunos:JeffersonCastro Benevides, Fernando Jesus  Almeida  e  Francisco  Elzo RochaBrasilcomvistasàobtenção do certificado emTécnicoemsegurança do trabalho,   sob   a   supervisão   da   professora RenataVilalbaReis.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Orientador(a):RenataVilalbaReis

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

CUIABÁ- MT

 

2016

 

 

TRABALHODECONCLUSÃODECURSOTÉCNICOEM SEGURANÇADOTRABALHO

 

 

 

FERNANDOJESUSALMEIDA FRANCISCOELZOROCHABRASIL

JEFFERSON CASTROBENEVIDES

 

 

APROVADO(S) EM:      /_      /_         

 

 

 

 

 

BANCAEXAMINADORA

 

 

 

 

 

OrientadorTítuloeNomedoprofessor(a)

 

 

 

 

 

 

 

TítuloeNomedoprofessor(a)

 

 

 

 

 

 

 

TítuloeNomedoprofessor(a)

 

 

 

Conceitofinal:               

 

 

 

Correções necessárias:

 

 

RESUMO

 

 

 

 

OMinistériodo Trabalhoainda não possuiestatísticas precisasdeacidentesdetrabalhosocorridos emEspaçosConfinados, pela falta de cadastramentoda Comunicação de Acidente Trabalho-(CAT) e porpartedeespecialistas emSegurançado Trabalho, onde a indíciosqueonúmero deacidentesnestesambientes é muitoalto. Alémdeseremcomuns,os acidentesdetrabalhoemEspaçosConfinados geralmentesãofatais.Elesacontecempordiversosmotivos,sendooprincipala faltadeinformaçãosobre os riscos inerentesàatividade. Esse trabalho expõe os riscos existentes para que os trabalhadores possam priorizar os cuidados com sua saúde e segurança nos locais onde é realizado esse tipo de atividades. A metodologia utilizada para esse tipo de pesquisa foi através de base de pesquisas em livros, consulta em publicações especializadas na legislação pertinente a situação proposta. Este trabalho tem como objetivo analisar as características dos vários métodos onde enfatiza os cuidados com os trabalhadores. Os resultados encontrados foram a falta de informação e descumprimentos de normas para com essa atividade, o que deram origem a grande maioria dos acidentes. Concluímos que as empresas deveriam dar mais atenção riscos existentes nesses locais de trabalho e seguir as Normas Regulamentadoras (NR) e Norma Brasileira (NBR), a fim de proteger e orientar os trabalhadores sobre os riscos expostos.    

 

 

 

 

 

 

Palavras-chave:Espaço Confinado,Conhecimento, Segurança, Riscos existentes,                                           Medidas de prevenção.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

DEDICATÓRIA

 

 

 

Dedicoestetrabalho a minha família, colegas e todos que contribuíram eque sempreestiverampresentenas dificuldades davidae em especial  estudo.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

AGRADECIMENTO

 

 

 

Agradeço primeiramente a DEUS eaminha Orientadora Profª.Renata Vilalba Reisqueaceitou o desafio  de  oferecer-me  a  melhor  direção para realizaçãodesteestudo.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

EPÍGRAFE

 

 

 

“Vocênãopode construiruma reputação sobre aquilo que vai fazer.”

(Henry Ford)

 

 

Sumário

 

 

 

1.INTRODUÇÃO.. 13

2.DESENVOLVIMENTO.. 14

2.1 REVISÃO DE LITERATURA.. 14

2.1.1 Tanques. 14

2.1.2 Silos. 15

2.1.3 Tubulações. 16

2.1.4 Biodigestor16

2.2 Galerias Subterrâneas. 17

2.3 A Avaliação dos Riscos. 17

2.3.1 Analise preliminar de risco - APR.. 18

2.3.2 Permissão de entrada de trabalho - PET. 18

2.4 Riscos existentes em espaços. 18

2.4.1 Risco físico. 19

2.4.2 Riscos químicos. 19

2.4.3 Riscos biológicos. 21

2.4.4 Riscos diversos. 22

2.5 Profissionais habilitados que integram a equipe de trabalhoem espaços

      confinados. 22

2.5.1 Responsável técnico. 23

2.5.2 Supervisor de entrada. 23

2.5.3 Vigia. 24

2.6 Recomendações. 24

2.6.1 Identificação. 24

2.6.2 Analise. 24

2.6.3 Avaliação. 25

2.7 Gerenciamento. 25

2.8 Das responsabilidades. 26

2.8.1 Cabe ao empregador26

2.8.2 Cabe ao empregados. 26

2.8.3As medidas de caráter pessoal a serem observadas pelas empresas nos espaços confinados prevê:26

2.9 Emergência e salvamento. 27

2.10. Equipamentos de proteção para trabalho em espaço confinado. 27

2.10.1 Equipamento de Proteção coletiva. 28

2.10.1.1 Ventilador / Insuflador de ar28

2.10.1.2 Radios comunicadores. 29

2.10.1.3 Tripés / Monopés. 29

2.10.1.4 Equipamento de Resgate. 30

2.10.1.5 Cadeira para ascesso sem escada. 30

2.10.1.6 Cabo de aço. 31

2.10.1.7 Detector de gases portatil31

2.10.1.8 Explosimetro. 32

2.10.1.9 Cadeira apropriada. 32

2.10.1.10 Extintor ABC.. 33

2.10.2 Equipamento de Proteção Individual33

2.10.2.1 Capacete com jugular34

2.10.2.2 Luvas de raspa ou de PVC.. 34

2.10.2.3 Cinto de segurança tipo paraquedista. 35

2.10.2.4 Botas de segurança. 35

2.10.2.5 Oculos de segurança. 36

2.10.2.6 Respiradores. 36

3. RESULTADOS E DISCUSSÃO.. 36

4. CONSIDERAÇÕES FINAIS 40

5. BIBLIOGRAFIA.. 41

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Lista de Figura

 

Figura 01: Tanques de Armazenamento. 15

Figura 02: Silos. 15

Figura 03: Tubulação. 16

Figura 04: Biodigestor16

Figura 05: Galeria subterranêa. 17

Figura 06: Ventilador / Insuflador de ar.28

Figura 07: Radios comunicadores .29

Figura 08: Tripés / Monopés. 29

Figura 09: Equipamento de Resgate. 30

Figura 10: Cadeira para ascesso sem escada. 30

Figura 11: Cabo de aço.31

Figura 12: Detector de gases portatil.31

Figura 13: Explosimetro. 32

Figura 14: Lanterna apropriada.32

Figura 15: Extintor ABC.33

Figura 16: Capacete com jugular34

Figura 17: Luvas de raspa ou de PVC.. 34

Figura 18: Cinto de segurança tipo paraquedista. 35

Figura 19: Botas de segurança. 35

Figura 20: Oculos de segurança. 36

Figura 21: Respiradores. 36

Figura 22: Acidente em reservatorio de combustivel.38

Figura 23: Silo onde os trabalhadores cairam.. 39

Figura 24: Explosão mata soldador40

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Lista de tabela

 

 

Tabela 01. 20

Tabela 02. 20

Tabela 03. 21

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

1.  INTRODUÇÃO

 

 

 

 

Asatividadesemespaçoconfinado sefazempresentesnasmais diversasatividadeslaborais, tais como:Na agricultura,na indústriade transformação, construção, setorpetroquímico, telecomunicaçõese muitos outros. Contudo,na prática,osproblemasqueenvolvemasegurança nos espaçosconfinadoscomeçamnaidentificaçãodesseslocais. Desta forma delimitando-se o seguinte título: Os Riscos existentes em espaço confinado.

Diante da ineficiência da fiscalização sobre essa atividade de espaço confinado e a falta de conhecimento dos empregadores com relação aos ricos existentes e medidas de controle e prevenção, se torna duvidosa as condições de trabalho dos funcionários que executam qualquer atividade  em espaço confinado. ANR33 - Segurança e Saúde nos trabalhos em Espaços Confinados, tem como intuito garantirotrabalhoea saídasegurados espaçosconfinados, atravésdaimplantaçãode medidasdeproteção,que devemserestabelecidasapartirdosriscos existentesantesdaentradaenosriscosgeradosna atividadeaser realizada.

Através da identificação de tais problema, o presente trabalho tem como Objetivo geral: Expor e os riscos existentes em espaços confinadose esclarecer as condições previstas para que o trabalho neste ambiente seja executado de forma segura, seguida do seguinte Objetivo específico: Apresentar medidas e formas de prevenção; demonstrar os Equipamentos de Proteção Individual e os Equipamentos de proteção Coletiva necessários; Apresentar documentação adequada para a execução da atividade e demonstrar quais normas que se aplicam na atividade de espaço confinado.

Foi utilizada a metodologia bibliográfica para o desenvolvimento deste trabalho, tendo por base a pesquisas em livros, consulta em publicações especializadas na legislação pertinente, Norma Regulamentadora (NR)33, Norma Brasileira de Regulamentação(NBR 14787-Espaço Confinado – Prevenção de Acidentes, Procedimentos e Medidas de Proteção), (NRB 1318- Prevenção de acidentes em espaço confinado), artigos e livros correspondentes

 

 

2.  DESENVOLVIMENTO

 

        2.1  REVISÃO DE LITERATURA

 

 

 

O GUIA DANR33 - SEGURANÇA E SAÚDE NOS TRABALHOS EM ESPAÇOS CONFINADOS.

 define:

[...] osespaçosconfinados sãoáreas fechadas ouenclausuradas,com as seguintes características:ambienteque não prevêocupação humanacontínua,aberturasde entrada e saída sãorestritas,limitadasou parcialmenteobstruídasqueimpedem alivrecirculação e a movimentação no seu interior é muitasvezesdifícil,podendo ocorreroaprisionamentodotrabalhador, a ventilaçãonaturalinexisteouéinsuficiente quandoexistente,aventilaçãoé insuficientepara remover contaminantes e poluentestóxicos ouinflamáveis quepodem  serencontradosnoseu interior fontesdeenergia potencialmentenocivas podem estar presentes, o risco de ocorrência de acidente de trabalho ou de intoxicação é elevado[...]. (Fonte: FUNDACENTRO , 2013).

 

Apesardaavaliaçãodasprincipaiscaracterísticasdos espaços confinadosserem fundamentaisparaaidentificaçãodesteslocaisea consequentereduçãodeacidentes, coma adoçãodemedidaspreventivas,énecessárioavaliaro tipo detrabalhoqueseráexecutadonolocal,parareconhecerseelepode viratercondiçõessemelhantesaoespaço confinado.

 

Estes espaços podem ser encontrados nas seguintes categorias Ex:

 

·         Tanques

·         Silos

·         Tubulações

·         Biodigestor

·         Galeria Subterrânea

 

2.1.1.1 Tanques

 

São tanques de armazenamento ou de armazenagem também designado por reservatório, é um recipiente destinado a armazenar fluidos à pressão atmosférica  e a pressões superiores à atmosférica. Devido aos produtos armazenados neste espaço é de extrema importância realizarem-se, de forma regular e periódica, a verificação e limpeza das estruturas e equipamentos utilizados para armazenar os produtos. (Disponível em http://www.reformadoraalves.com.br, acesso em 29 Out.. 2015).

 

Figura 01: Tanque de Armazenamento

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Fonte:Disponível em :http://www.cursosegurancadotrabalho.net/2013/08/NR-33-Espacos-Confinados.html, acesso em 12 Nov. 2015.

 

 

 

 

 

2.1.1.2 Silos

 

São construções destinadas ao armazenamento e conservação de grãos secos, sementes, cereais e forragens verdes. Arroz, trigo, café, semente de algodão, soja e outros. (Disponível emhttp://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0071-12761948000100001&script=sci_arttext,  acesso em 29 Out.. 2015).

 

 

FIGURA 02: Silos

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 Fonte: Disponível em: http://www.cursosegurancadotrabalho.net/2013/08/NR-33-Espacos-Confinados.html, acesso em 12 Nov. 2105.

 

 

 

 

2.1.1.3 Tubulações

 

Tubulação é o conjunto de dutos, tubos, conexões, registros, etc, interligados entre si para proporcionar o transporte e distribuição de fluidos. Ex: água, esgotos, gás, etc.( Disponívelem http://www.ecivilnet.com/dicionario/o-que-e-tubulacao.html, acesso em 29 Out. 2015).

 

Figura 03: Tubulação

.

 

 

 

 

 

 

Fonte: Disponível em: http://www.cursosegurancadotrabalho.net/2013/08/NR-33-Espacos-Confinados.html, acesso em 12 Nov. 2105.

 

 

2.1.1.4 Biodigestor

 

É um tanque protegido do contato com o ar atmosférico, onde a matéria orgânica contida nos efluentes é metabolizada por bactérias anaeróbias (que se desenvolvem em ambiente sem oxigênio). Neste processo, os subprodutos obtidos são o gás (Biogás), uma parte sólida que decanta no fundo do tanque (Biofertilizante), e uma parte líquida que corresponde ao efluente mineralizado (tratado). (Fonte: Disponível em http://www.cpt.com.br/,acesso em 29 Out. 2015).

 

Figura 04: Biodigestor

                                                            

 

 

 

Figura 04: Biodigestor

 

 

 

 

Fonte: Disponível em: http://www.cursosegurancadotrabalho.net/2013/08/NR-33-Espacos-Confinados.html, acesso em 12 Nov. 2105.

 

 

 

2.1.1.5 GaleriasSubterrâneas

 

 

As Galeriassubterrâneassãocanais, tubulações ou corredores, com diâmetro e extensões variáveis, de formatos circulares ou quadrados, unidos uns aos outros em forma de malha e utilizados para diversos fins, tais como para escoamento de águas pluviais, redes de esgoto, passagem de cabos elétricos, cabos telefônicos, etc. Sendo que as galerias utilizadas para esses fins sãoconsideradas espaços confinados. (FONTE: MSTE – MANUAL DE SALVAMENTO TERRESTRE / Corpo de Bombeiros Militar do Estado de São Paulo).

 

 

 

Figura 05: Galeria Subterrânea

 

 

 

 

 

 

Fonte: Disponível em: www.cursosegurancadotrabalho.netacesso em 12 Nov. 2015.

 

 

 

2.2  AVALIAÇÃODOSRISCOSEM ESPAÇOS CONFINADOS

 

Avaliação dos riscos é importante para que se escolha as medidas preventivas os EPIs e EPCs compatíveis com riscos a que os funcionários estarão expostos ao realizarem o seu trabalho, tornando-se assim uma ferramenta de suma importância da eficiência nas atividades de um Técnico em Segurança do Trabalho.

Antesdaautorizaçãodeentradaé realizada, a seguinte avaliação:AnálisePreliminardeRiscos(APR)possibilitando a emissão da Permissão de Entrada e Trabalho (PET), que são importantes paradefinir as medidas preventivas paraqueotrabalho em espaço confinado assim como outros que a exigemsejaexecutadodeformasegura.

 

 

 

 

2.2.1 Analise Preliminar de Risco (APR)

 

 É uma técnica de avaliação prévia dos riscos presentes na realização de uma determinada atividade / trabalho. Consiste no detalhamento minucioso de cada etapa do trabalho, e dos riscos envolvido nesta tarefa.

Entre os principais objetivos da análise preliminar de risco, podemos destacar:

1. Identificar os riscos;

2. Orientar os colaboradores dos riscos existentes em suas atividades no                           trabalho;

3. Organizar a execução da atividade;

4. Estabelecer procedimentos seguros;

5. Trabalhar de maneira planejada e segura;

6. Prevenção dos acidentes de trabalho;

7. Sensibilizar e instruir os trabalhadores sobre os riscos evolvidos na                                 execução do trabalho. (APR-MODELO-COMPLETO.pdf, 2015)

 

 

2.2.2 Permissão de Entrada de Trabalho (PET)

 

É uma autorização formal para a realização dos trabalhos, que serve como guia de identificação dos riscos relacionados ao espaço confinado, dos equipamentos de proteção individual que deverão ser usados pelos trabalhadores e os recursos de emergência previstos para o caso de resgate e salvamento. Este documento devera ser arquivado durante o período de 5 anos, e possuir um critério de rastreabilidade. (FONTE: SANTOS, Tônia Amanda Paz dos. 2013)

 

 

2.3  RISCOS EXISTENTES EMESPAÇOS CONFINADOS

 

Estãoligadosàventilação, como deficiência de oxigênio,  intoxicação  por  agentes  químicos eincêndio.Outrosriscosa segurançaesaúdedo trabalhador são soterramentos, quedas, escorregões, quedas de  objetos, engolfa mentos, caloroufriosexcessivos,baixailuminaçãoeruído. Também há de  ressaltar  que  as  posturas  de  trabalho  são incomodaseinadequadas,podendolevarotrabalhador aosdistúrbios osteomuscularesrelacionadosaotrabalhoeàhérniadedisco,devido aoesforçofísicoimpostopelos métodosdetrabalho.

 

Podemosdividirosriscosexistentesnestes ambientesem:

•   Físicos;

 

•   Químicos;

 

•   Biológicos;

 

•   Acidentes.

 

 

 

2.3.1 RiscoFísico

 

 

Ruído,calor,radiaçõesnão ionizanteseumidade sãoencontrados comfreqüência nos espaços confinados.

Oníveldepressão sonora muitasvezesprovocaefeitos indesejáveis pelasuareflexãonasparedes etetodoespaçoconfinado.

Ocaloréintensificado pelacirculaçãoreduzidadoar,aquecimento de  superfícies  e  equipamentos  no  interior  do  espaço  confinado  e radiaçãosolarconstante.

Asradiaçõesnãoionizantes, comoainfravermelhaeaultravioleta, estãopresentesemintensidadeselevadasnasoperaçõesde soldagem. Orisco aotrabalhadoréaumentado devidoàdificuldadeparainstalar biombos.

Aumidadeocorredevidoàdificuldadeparaaretiradadelíquidos doespaçoconfinado,cujoníveldopisomuitasvezeséinferioraonível dolençolfreático,podendoencharcarouniformeebotas dotrabalhador, nasatividadesrealizadasem galerias,tanques,poçossubterrâneos e praçade máquinas. (FONTE: Guia Técnico da NR 33.3.2 “c”, 2013).

 

2.3.2 RiscosQuímicos

 

Apresençade contaminanteseadeficiênciadeoxigênio(O2) podemprovocaraintoxicação,asfixia(simplesou química)e, eventualmente,a mortedostrabalhadores.Oscontaminantes (aerodispersóides,gasesouvapores)podem sergeradospelas substânciasarmazenadas,peladecomposiçãode matériaorgânica,por vazamentos,oupelaatividadedesenvolvidanoespaçoconfinado.

Ousodemotores àcombustãoéproibidoemespaçosconfinados, pois  geram  dióxidode  carbono(asfixiantes  simples)emonóxido  de carbono (asfixiantequímico),que podemformar umaatmosfera Imediatamente Perigosa à Vida e à Saúde (IPVS),e a ventilação geral normalmente  não  é  capaz  de  diluir  os  contaminantes  gerados  em grandesconcentrações.

A  oxidação  normal  de  estruturas  metálicas,  a  presença  de bactérias,asoperaçõesqueenvolvam chamas abertas, aliberaçãoou formaçãodeasfixiantessimples comooArgônio,Nitrogênio,Metanoe DióxidodeCarbonoeo consumo de arpelostrabalhadoresdentrodo espaçoconfinado sãoalgunsdosprocessosque tambémdiminuemo percentual deO2 no seuinterior.Adescontaminaçãodo espaço confinadoécrucialparaaliberaçãodos trabalhos noseuinterior, são eles: Presençadegases tóxicos, naturaisouindustrializados, presençadegases inflamáveis, variaçãodaconcentraçãodeO2(abaixode19,5%ou acimade22%), presençadefumaçanos casos deincêndios, etc. (FONTE: Guia Técnico da NR 33.3.2 “c”, 2013).

            Oespaço confinadotambémpodepossuirumacondição atmosféricaque possaoferecerriscosaolocaleexporos trabalhadoresaoperigodemorte, incapacitação,restriçãoda habilidadeparaautoresgate,lesãoou doença aguda que pode ser causada por concentração de oxigênio abaixode 19,5% ou acima de22%,ouhaverumaconcentraçãodequalquer substância, expostoo trabalhadoracima dolimite detolerância.(NBR14787-Espaço Confinado) – Prevenção de Acidentes, Procedimentos e Medidas de Proteção). Podemoscitar algunsexemplosde concentraçõesde gasesfora dos limites detolerânciaparaohomem eseusresultados:

 

 

TABELA 01:CONCENTRAÇÕESDE GASESFORA DOS LIMITES DETOLERÂNCIA PARAO                                   HOMEM - CO2

Efeitosdadeficiênciade gáscarbônico - c02

LimitedeTolerância

19,5a22%)

Descoordenação

15a19%

Respiraçãodifícil

12a14%

Respiraçãofraca

12a14%

Falhasmentais, náuseasevômitos

8a10%

Inconsciência –morteapós 8minutos

6a8%

Comaem 40segundos

4a6%

 

 

TABELA 02: CONCENTRAÇÕESDE GASESFORA DOS LIMITES DETOLERÂNCIA

                      PARAOHOMEM - CO

Efeitos daconcentraçãodomonóxidodecarbono     (CO)

Limitedetolerância–39ppm

DorDeCabeça;

Acimade200ppm:

Palpitações;

De1000a2000ppm

Inconsciência;

De2000a2500ppm

Morte.

Acimade4000ppm

 

 

 

TABELA 03: CONCENTRAÇÕESDE GASESFORA DOS LIMITES DETOLERÂNCIA

                      PARAOHOMEM - H2S

Efeitos dogás sulfídrico(H2S)

(Limitedetolerância–8,0ppm)

Irritações;

e50a100ppm

Problemas Respiratórios;

De100 a 200ppm

Inconsciência;

De500 a 700ppmD

Morte.

Acimade700ppm

 

 

 

2.3.3 - RiscosBiológicos

 

 

Espaçosconfinadospossuemcondiçõespropíciaspara a proliferação de microorganismose algumasespéciesde animais,em virtude da umidade  alta,  iluminação  deficiente,  água  estagnada  e presençadenutrientes.Ratos,morcegos,pombose outrosanimaisque possuem acessofácilaespaçosconfinados, eos utilizamcomoabrigo contraseuspredadores,sãovetoresdedoenças transmissíveisou hospedeirosintermediários.Cobras,insetose outrosartrópodespodem provocar intoxicações e doenças.Aspoeiraspresentesnos espaços confinadospodem contermaterialbiológicopotencialmentepatogênico, pelapresençade excrementos,urina,salivaedemaisfluidosorgânicos provenientesdessesanimais. Vírus, bactérias e fungos podem provocar doenças, tais como:

 

·   Hepatite - doençanofígadocausada pelovírus dahepatite;

 

·    Tétano-doençacausadapelabactériaClostridiumtetani, presentenosolo, em fezesdeanimais ouhumanas;

·    Leptospirose-causadapelabactériaLeptospirapresentena urinaderatos;

·    Criptococose     -    causada    pelo    fungo    Cryptococcus neoformans, presentenos excrementosdepombos;

·    Histoplasmose    -    causada    pelo    fungo    Histoplasma capsulatum, presentenos excrementosdemorcegos;

·   Raiva-causadapelovírus presentenasalivadeanimais;

 

          Além disso podemos encontra a presençadeanimaiseinsetos, sendo estes,  animais que, por meio de um mecanismo de caça e defesa, são capazes de injetar em suas presas uma substância tóxica produzida em seus corpos, diretamente de glândulas especializadas (dente, ferrão, aguilhão) por onde passa o veneno. (Disponível em:http://animais-peconhentos.info,acesso em 30 nov. 2015).

 

2.3.4 - Riscosde Acidente

 

Nos espaços confinados podem existir diversas condições perigosas com riscos de acidentes que poderão ter consequências mortais ou particularmente graves para os trabalhadores que são as seguintes:

 

 

Colapsodeestrutura  - E  identificado pela propagação de um ruptura inicial, localizada, de modo semelhante a uma reação em cadeia que conduz à ruptura parcial ou total de um  suposto espaço confinado. (Fonte: Antônio Carlos Reis Laranjeiras - Edição Nº. 33, 2011).

 

Explosão -É o consumo de oxigênio em um espaço e tempo proporcionalmente pequeno,[milionésimo de segundo] onde ocorre a vibração do ar; o que nós escutamos e a vibração do ar.(Disponível em http://www.dicionarioinformal.com.br, acesso em 30 Nov. 2015).

 

Incêndio - Fogo fora de controle que necessita para sua extinção equipamentos adequados e pessoal habilitado como bombeiros e brigadistas. (Disponível emhttp://www.dicionarioinformal.com.br, acesso em 30 Nov. 2015).

 

Inundação - Tipo particular de enchente, na qual a elevação do nível d'água normal atinge tal magnitude que as águas não se limitam à calha principal do rio, extravasando para áreas marginais, habitualmente não ocupadas pelas águas. Disponível em http://www.rc.unesp.br/,  acesso em 30 Nov. 2015).

 

 

2.5 Profissionais habilitados que integram a equipe de trabalho em espaços

      confinados.

 

É importante que tais trabalhadores sejam habilitados tendo em vista as adversidades, que tornam essenciais os conhecimentos dos recursos disponíveis para realizar trabalhos em espaços confinados, adquiridos através dos treinamentos práticos e teóricos que auxiliam tanto na prevenção quanto a reação a um possível acidente.

            Os Trabalhadores Autorizados são aqueles treinados para entrar no espaço confinado e devem:

                                    [...]  Colaborarcom aempresanocumprimentodaNR-33;

·         Entrarnoespaçoconfinadosomentequandofortreinadoe quandoa PET–PermissãodeEntradaeTrabalhoforcompletadae assinadapelo supervisorde entrada;

·         Cumprirosprocedimentoseorientaçõesrecebidosnostreinamentos comrelaçãoaosespaçosconfinados;

·         Compreendereseguirosprocedimentosantesdaentradanoespaço confinadoesabercomoequandosair;

·         Utilizaradequadamenteosmeioseequipamentosfornecidospela empresa.Porexemplo:equipamentoscontraquedas,demonitoramento doar, deventilação,de iluminaçãoedecomunicaçãodeacordocom a PET–PermissãodeEntradaeTrabalho,entreoutros;

·         Monitorarcontinuamenteaatmosferainterna;

·         Comunicar ao vigia e ao supervisor de entrada as situações de risco para sua segurança e saúde ou de terceiros, que sejam do seu conhecimento;

·         Dar ordem de abandono de área quando forem emitidos sinais de perigo[...].(KULCSAR NETO; AMARAL; GARCIA, 2011.

 

            Os profissionais autorizados para esse tipo de trabalho são os: Responsáveis Técnicos, Supervisor de entrada e o Vigia.

 

 

2.5.1  ResponsávelTécnico

 

            É oprofissional indicadoformalmente pelo empregadorpara o cumprimento    daNR–33.

 

[...] Redigir o programa de Gestão de Segurança e Saúde    nos trabalhos em espaços confinados;

·         Elaborar os procedimentos de entrada, trabalho e resgate;

·         Adaptar a Permissão de Entrada e Trabalho (PET) às características dos riscos e espaços confinados de cada empresa;

·         Especificar os equipamentos de avaliação e controle dos riscos e equipamentos de comunicação;

·         Providenciar a capacitação dos Supervisores de Entrada, Vigia e Trabalhadores Autorizados.

·         Descrever e implantar medidas de controle para emergência e salvamento[...] (FONTE: KULCSAR NETO; AMARAL; GARCIA, 2011).

  

 

2.5.2  Supervisor de entrada

 

Deve sernomeadopeloResponsável Técnico e as suasatribuiçõessão:

 

 [...] Identificar riscos e preparar todas as medidas de controle da pré- entrada e da entrada como a APR – Análise Preliminar de Riscos; a PET – Permissão de Entrada e Trabalho;

Informar aos trabalhadores expostos a existência e a localização dos espaços confinados e seus respectivos riscos e controles;

Reconhecer, avaliar e controlar riscos físicos, químicos e biológicos, principalmente os riscos atmosféricos e de energias perigosas;

Testar e monitorar o nível de oxigênio, substâncias inflamáveis ou tóxicas, antes e durante a entrada em EC;

Providenciar os EPIs – Equipamentos de proteção individual, especialmente os de proteção respiratória; trabalho à quente;   

equipamentos de resgate e equipe de resgate; comunicação de informações de riscos ambientais e de trabalho entre as equipes;

Preparar a equipe de resgate para emergência e salvamento [...].(FONTE: KULCSAR NETO; AMARAL; GARCIA, 2011).

 

2.5.3  Vigia

 

            É um Trabalhador Autorizado e segundo Kulcsar Neto, Amaral e Garcia (2011), suas atribuições são:

 

[...] Manter contato visual com os demais trabalhadores autorizados, via telefone ou por rádio durante toda a execução do trabalho;

·         Usar o equipamento de resgate externo e acionar o pessoal de emergência e salvamento para retirada dos trabalhadores autorizados, sempre que necessário;

·         Dar ordem de abandono da área, sempre que necessário.

·         Atenção: o Vigia não deve entrar no espaço confinado para realizar resgate [...] (FONTE: KULCSAR NETO; AMARAL; GARCIA, 2011)

 

 

 

 

2.6RECOMENDAÇÕES

 

 

 

 

Deacordo comaNR33,ascondiçõesmínimasdesaúdee segurançaa seremobservadasantesque otrabalhadorinicieas atividadesnesteslocaisreferem-sea:não permitirqueapele do trabalhadortenha contatocomdetritoseacontrolarsituaçõesde exposiçãoagasesperigosos com ventilaçãoemonitoramentocom detectores degásconfigurados comsensoresadequados

Dada acomplexidadeexistentenotrabalho com espaçoconfinado, existeanecessidadedaavaliação deriscos(identificação/analise/ avaliação)eéprecisoinserir seuresultadonocadastrodeespaços confinadospara queestepossa serutilizado noplanejamentodas atividades, na capacitação   dos   trabalhadores   e   pelo   grupo   de emergênciae salvamento.

 

2.6.1 Identificação:

 

A avaliação, monitoramento e controle dos riscos existentes, de forma a garantir permanentemente a segurança e saúde dos trabalhadores que interagem direta ou indiretamente nestes espaços.

 

2.6.2 Análise

 

É o uso sistemático de informação disponível para determinar quão frequentemente eventos especificados podem ocorrer e a magnitude de suas consequências no local onde será realizado  determinada atividade.

 

 

2.6.3 Avaliação:

 

A atmosfera nos espaços confinados, antes da entrada dos trabalhadores para verificar se as condições de entrada são seguras; Primeiramentedeveseestabelecerum programade gerenciamentoque incluaexamesmédicos,treinamento, procedimentossegurosdetrabalho,comoaPET(permissãodeentrada etrabalho),Equipamentos deproteçãoindividual,Equipamentosde proteção coletivaeequipamentosderesgate.Umavezidentificado o espaçoconfinado, eledevesersinalizado,isoladoebloqueadode preferência  com  cadeado.  

 

2.7 - GERENCIAMENTO

 

            É o processo de planejar, organizar, dirigir e controlar os recursos humanos e materiais de uma organização, no sentido de minimizar ou aproveitar os riscos e incertezas sobre essa organização. (Disponível em http://www.venki.com.br/, acesso em 30 Nov. 2015).

 

Em  todos  os  casos  a  entrada  nestes ambientesdeveassegurarasaúdeesegurançadotrabalhadorpormeio dopreenchimento deuma folha deentrada,medição da atmosfera,boas condiçõesde ventilação,purga,lavagem,uso de EPIs,possibilidade de resgate,transportee comunicação,alémdeexamesmédicos e treinamento.

 

Terboa condição física não é suficienteparao trabalhador desempenharadequadamenteotrabalhonoespaço confinado,deve também estar psicologicamente   preparado   para   o   trabalho   nas condiçõesespeciaisquerepresentamoespaçoconfinado.

 

 Devetersuficientegraudeinstruçãoqueopermitacompreender o treinamentoministradoparao trabalho.Trabalhadoranalfabetooude baixaescolaridaderepresentamrisco potencialdeacidente.Enãoraros sãoaquelesque sesubmetemaessetipodetrabalho. ( Disponível em http://www.anamt.org.br/, acesso em 30 Nov. 2015).

 

 

 

 

 

2.8 - Das responsabilidades

 

2.8.1 Cabe ao empregador:

 

 

[...] Selecionar e indicar um técnico capacitado e treinado sob as normas da NR-33

·         Identificar, avaliar e expor os riscos de um espaço confinado

·         Capacitar, orientar e educar os trabalhadores sobres os riscos, medidas, meios, resgate e salvamento em espaços confinados

·         Se assegurar que os trabalhos em tais ambientes só ocorram após emissão da PET, cujo modelo está no anexo II da NR 33

·         Atualizar sempre, todos os trabalhadores, sobre a situações dos espaços, especialmente em casos de mudanças

·         Criar todo um planejamento e suporte para casos de emergência

·         Saber como agir, quando interromper uma trabalho com riscos e como liderar uma situação de emergência[...]( FONTE: Norma Regulamentadora 33.2.1, 2006).

 

 

2.8.2 Cabe aos empregados:

 

 

[...] Colaborarcomaempresanocumprimentodasdisposições normativasespecíficas;

·         Utilizar adequadamenteosmeioseequipamentosfornecidos pela empresa;

·         Comunicaraovigiaeaosupervisordeentradaassituações deriscopara suasegurançaesaúdeoudeterceiros,que sejam doseuconhecimentoe,

·         Cumprir  os  procedimentos  e  orientações  recebidos  nos treinamentos com relaçãoaosespaços confinados [...]

( FONTE: Norma Regulamentadora 33.2.2, 2006).

 

 

 

2.8.3  Asmedidasdecaráterpessoalaserem observadaspelas empresasnosespaçosconfinadosprevê:

 

·         Todotrabalhadordevesersubmetidoaexames médicos específicospara a função queirádesempenhar,conforme estabeleceas normasreguladoras:NR07 (PCMSO)e NR33,incluindo fatores psicossociaiscom aemissãodorespectivoASO–AtestadodeSaúde Ocupacional.

·         Deve-secapacitartodosos trabalhadoresenvolvidos,diretaou indiretamente,comosespaçosconfinadossobreos seusdireitos, deveres,riscos oumedidas decontrole;

·         Onúmerode trabalhadoresenvolvidosnaexecuçãodos trabalhos  em  espaços  confinados  deve  serdeterminadoconformea analisederisco;

·         Évedadaarealizaçãodequalquertrabalhoem espaços confinadosdeformaindividualouisolada.

 

 

2.9  EMERGÊNCIAESALVAMENTO

 

 

A existência de uma equipe capacitada, treinada e habituada, as particularidades do trabalho em espaço confinado, a disposição no momento da realização do trabalho aumenta as chances de sobrevivência do trabalhador caso ocorra algum acidente, de forma que o socorro seria imediato e preciso.

Deacordocom aNR-33,Oempregadordeveelaborare implementarprocedimentosdeemergênciaeresgate adequadosaos espaçosconfinadosincluindo, nomínimo:

 

·   Capacitaçãodeequipe de salvamento;

 

·   Descriçãodepossíveisacidentes;

 

·   Descriçãodemedidas desalvamentoeprimeiros socorros;

 

·    Corretautilizaçãodeequipamentosdeemergência,resgate, primeiros socorrosetransporte;

·   Acionamentodesocorroespecializado;

 

·   Simulações anuais desalvamento

 

 

2.10EQUIPAMENTOSDEPROTEÇÃOPARA TRABALHOEM ESPAÇOSCONFINADOS

 

 

 

Segundoa NBR14787,deverãoestardisponíveisosseguintes equipamentos,sem custoparaostrabalhadores, funcionando adequadamenteeassegurandoautilizaçãocorreta: O Equipamentodesondagem inicialemonitoramentocontínuoda atmosfera,calibradoetestado antesdouso,adequadopara otrabalho em áreaspotencialmenteexplosivas.

Osequipamentosqueforem utilizadosnointeriordosespaçosconfinadoscomriscode explosão deverãoserintrinsecamenteseguros (Ex-I)eprotegidoscontra interferênciaeletromagnéticaeradiofreqüência,assim comoos equipamentosposicionadosnaparteexternadosespaçosconfinados que possam estar em áreas classificadas. ( FONTE: NBR 14787, 2001 p. 5).

 

ANBR 14787define:

 

[...] Equipamentointrinsecamenteseguro(ExI):Situaçãoemqueoequipamentonão écapaz deliberarenergiaelétrica (faísca)outérmica suficiente paraemcondições normaisouanormais, causaraigniçãodeumaatmosfera explosiva, conforme expressonocertificadodeconformidadedoexperimento.

ÁreaClassificada:Áreanaqualumaatmosferaexplosivadegásounaqualé provávelasuaocorrênciaapontodeexigirprecauçõesadicionais,paraconstrução, instalaçãoeutilizaçãodeequipamentoelétrico [...]

(Fonte: ABNT - NBR 14787, 2001, p. 5).

 

 

 

 

2.10.1 - Equipamentos de Proteção Coletiva

 

EPC define-se:

 

[...] Equipamento de Proteção Coletiva (EPC) é todo equipamento utilizado para atender a vários trabalhadores ao mesmo tempo, destinado à proteção do trabalhador a riscos suscetíveis de ameaçar a segurança e a saúde no trabalho.

Por exemplo: enclausuramento acústico de fontes de ruído, a ventilação dos locais de trabalho, a proteção de partes móveis de máquinas e equipamentos, a sinalização de segurança, a cabine de segurança biológica, capelas químicas, cabine para manipulação de radioisótopos, extintores de incêndio, tela de proteção contra quedas de materiais, bandeja de proteção contra queda de pessoas, entre outros [...]. ( FONTE: Cláudia Régia Gomes Tavares, 2009)

 

 

 

          2.10.1.1Ventilador/ InsufladordeAr

         

          Tem como objetivo principal reduzir a concentração de substâncias tóxicas e/ou perigosas presentes na atmosfera do ambiente confinado.

                                                       

FIGURA 06: Ventilador/ InsufladordeAr

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

]

Fonte: Disponível em: www.nederman.com.br, acesso em 13 Nov. 2015.

 

 

 


2.10.1.2 Rádios comunicadores

 

 

São ferramentas poderosas que permitem uma comunicação melhor e operação mais eficiente.

 

FIGURA 07: Rádios comunicadores

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Fonte: Disponível em:   www.casadoepism.com.br, acesso em 13 Nov. 2015.

 

 

 

 

 

 

 


2.10.1.3 Tripés/ Monopés

 

 

Usado em locais de difícil acesso, sem escadas e/ou lugares altos para levantar/retirar/resgatar o profissional de espaço confinado.

 

 

 

 

 

 

 

FIGURA 08: Tripés/ Monopés

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Fonte: Disponível em:   www.mgcinto.com.br, acesso em 13 Nov. 2015.

 

 

 


2.10.1.4 Equipamentos deResgate

 

Permitir a execução dos resgates em altura e em espaços confinados com total segurança, para garantir a integridade física e moral dos funcionários

 

FIGURA 09: Equipamentos deResgate

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Fonte: Disponível em:   crescertreinamentos.com, acesso em 13 Nov. 2015.

 

 

 

 

 

 

 

 


2.10.1.5 Cadeira para acessosemescada

 

A cadeira suspensa por cabo de aço é um equipamento de movimentação vertical com acionamento manual, cuja estrutura e dimensões permitem a utilização por apenas uma pessoa portando o material necessário para realização do serviço e ideal para locais com pouco espaço e áreas confinadas.

 

FIGURA 10: Cadeira para acessosemescada

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Fonte: Disponível em:   www.vipmarteletes.com.br, acesso em 13 Nov. 2015.

 

 

 

 


2.10.1.6 CabosdeAço

 

 

Cuja finalidade para o trabalhador será a de subi-lo ou descê-lo do interior do espaço confinado.

 

FIGURA 11: CabosdeAço

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Fonte: Disponível em:   www.impactomg.com.brr, acesso em 13 Nov. 2015.

 

 

 

 

 

 


2.10.1.7 Detectores deGasesPortáteis

 

Para detectar a presença de até 4 gases:O2, H2S, CO e Gases Combustíveis e nas situações e ambientes mais adversos.

 

FIGURA 12: Detectores deGasesPortáteis

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Fonte: Disponível em:  http://www.burgardt.com.br/produto/detectores-de-gases-portateis,  acesso em 13 Nov. 2015.

 

 

 

 

 

 


2.10.1.8 Explosímetros

 

São dispositivos eletrônicos que indicam a concentração de um ou mais gases, em um ambiente; são utilizados principalmente para detectar e localizar vazamentos de gás combustível.

FIGURA 13: Explosímetros

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Fonte: Disponível em:   segurancasaude.blogspot.com/,  acesso em 13 Nov. 2015.

 

 

 

 

 


2.10.1.9 Lanternas Apropriadas

 

Visando garantir a segurança e visibilidade dos trabalhadores em qualquer ambiente de trabalho, pois a falta de luminosidade pode proporcionar um grande risco ao profissional.

FIGURA 14: Lanternas Apropriadas

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

Fonte: Disponível em:   http://www.protkit.com.br/produto.php?prCodigo=31, acesso em 13 Nov. 2015.

 

 

 

 

 

 

 


2.10.1.10 Extintores ABC

 

Um extintor de incêndio ou simplesmente extintor  é um equipamento de segurança que possui a finalidade de extinguir ou controlar incêndios em casos de emergência. Em geral, é um cilindro que pode ser carregado até o local do incêndio, contendo um agente extintor sob pressão.

 

FIGURA 15: Extintores ABC

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Fonte: Disponível em:  https://plus.google.com/102322106085667560012/posts,  acesso em 13 Nov. 2015.

 

 


   

 

 

2.10.2  Equipamento de Proteção Individual

 

         Após as medidas preventivas ambientais e os equipamentos de proteção coletiva, o uso do equipamento de proteção individual é importantíssimo para a saúde e segurança do trabalhador, lembrando que o seu êxito esta diretamente ligado a qualidade e o seu uso de forma correta.

 

 NR 06 define EPI:

 

[...] 6.1 Para os  fins de aplicação desta Norma Regulamentadora - NR, considera-se Equipamento de Proteção Individual - EPI, todo dispositivo ou produto, de uso individual utilizado pelo trabalhador, destinado à proteção de riscos suscetíveis de ameaçar a segurança e a saúde no trabalho.

6.1.1 Entende-se como Equipamento Conjugado de Proteção Individual, todo aquele composto por vários dispositivos, que o fabricante tenha associado contra um ou mais riscos que possam ocorrer simultaneamente e que sejam suscetíveis de ameaçar a segurança e a saúde no trabalho.

6.2 O equipamento de proteção individual, de fabricação nacional ou importado, só poderá ser posto à venda ou utilizado com a indicação do Certificado de Aprovação - CA, expedido pelo órgão nacional competente em matéria de segurança e saúde no trabalho do Ministério do Trabalho e Emprego [...]. (FONTE: NR 06, Portaria GM n.º 3.214, de 08 de junho de 1978)

 

 

 

2.10.2.1 Capacete com jugular

 

Desenvolvido para proteger a cabeça dos trabalhadores contra possíveis  ferimentos decorrentes de quedas de objetos, impactos ou mesmo choques elétricos. Lembrando que os capacetes de segurança podem ter como item adicional a jugular, ou seja, uma fita que passa por baixo do queixo do usuário e evita que o capacete caia.

 

 

FIGURA 16: Capacetecom jugular

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Fonte: Disponível em: www.portaldosequipamentos.com.br, acesso em 13 Nov. 2015.

 

 

 

 

 

 

 

 


2.10.2.2 LuvasdeRaspaoudePVC

 

Responsáveis pela proteção das mãos e dos braços dos trabalhadores contra possíveis escoriações ou contra agentes potencialmente perigosos

 

FIGUR 17: LuvasdeRaspaoudePVC

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Fonte: Disponível em:  www.materialsegurancaepi.com.br, acesso em 13 Nov. 2015.

 

 

 

 

 

 

 


2.10.2.3 CintodeSegurançaTipoParaquedista.

 

Indispensáveis aos trabalhadores na execução de qualquer tarefa que envolva altura.

 

FIGURA 18: CintodeSegurançaTipoParaquedista

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Fonte: Disponível em:  www.alpimonte.net, acesso em 13 Nov. 2015.

 

 

 

 

 

 

 


2.10.2.4 BotasdeSegurança.

 

 

Ideais para a proteção, tanto dos pés, como das pernas de possíveis acidentes como escoriações, torções, derrapagens, contato com materiais e agentes contaminantes ou infecciosos, dentre outros.

 

 

 

 

 

Fonte: Disponível em:  www.epibrasil.com.br, acesso em 13 Nov. 2015.

 

FIGURA 19: BotasdeSegurança

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


2.10.2.5 Óculos deSegurança.

 

Extremamente importantes para a proteção do rosto, especificamente na região dos olhos dos trabalhadores.

 

 

 

 

FIGURA 20: Óculos deSegurança

 


  

 

 

 

 

 

 

 

 

Fonte: Disponível em:  www.as-solucoes.com.br, acesso em 13 Nov. 2015.

 

 

 

 

 

 


2.10.2.6 Respiradores.

 

Equipamentos essenciais na execução de trabalhos que envolvam contato com produtos químicos ou demais agentes potencialmente nocivos quando inalados.

 

 

 

 

FIGURA 21: Respiradores

 

 


 

        

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Fonte: Disponível em:  www.equipamentodeprotecaoindividual.com, acesso em 13 Nov. 2015

´´´´´´´´´´´´´´´´´´´´´´´´´´´´´´´´´´´´´´´´´´´´´´´´´´´´´´´´

 

 

 

 

3  RESULTADOS E DISCUSSÃO

 

O alto risco, aliados ao desconhecimento das medidas de engenharia, administrativas e pessoais como exames médicos, procedimentos, equipamentos e equipe de resgate das pessoas envolvidas e que contribuem de forma negativa com o numero de acidentes em espaço confinado que são divulgados pelo MTE. Uma das fases mais comuns de prevenção é a classificação de riscos tais como, Incêndios, explosões, situações envolvendo produtos perigosos e entre outros. Mas as pessoas não estão morrendo apenas pelas causas freqüentes atribuídas aos acidentes em Espaços Confinados como falta de oxigênio, inalação de produtos tóxicos ou ainda quedas e explosões mais sim por um fator determinante a falta de informação sobre os riscos que atinge empregadores e empregados em todo o brasil.           A falta de informação converte pequenos erros em catástrofes o desconhecimento gera outro efeito. Estes espaços tornam-se traiçoeiros, pois o trabalhador acha que não há risco algum em adentrar. Ações simples como a entrada para resgatar uma ferramenta que caiu ou foi esquecida no interior do espaço confinado pode se transformar numa tragédia.

O maior desafio dos profissionais de segurança consiste em identificar os locais confinados para que possam tomar as medidas de controle. Todos os trabalhadores envolvidos em trabalhos em Espaços Confinados também deverão ter ciência dos riscos e formas de controle, através de treinamentos entre outros.

Apesar das atividades serem em ramos distintos as falhas são comuns entre eles ( Falta de EPIs, EPCs, equipe de resgate, treinamento, aplicação das NRs,  NBRs entre outros) e destacando assim a falta de fiscalização dos órgãos competentes e a falta de capacitação de empregador e empregado. Devido a essa falta de conhecimento e fiscalização, a maioria dos acidentes em espaços confinados não são registrado no MTE através das CAT, dificultando a precisão e a atualização dos dados referentes a esse tipo de acidente de trabalho e os tornando inconfiáveis, partindo do princípio do descaso com esses acidentes, onde não se previne, porque quem executa e quem contrata não se sabe o que prevenir, esses dados são de suma importância para que se organize ações efetivas de treinamento, fiscalização e acompanhamento dessas atividades, que nas ocasiões a baixo levou a vida de trabalhadores de forma chocante e repentina, nos mostrando de dura forma que essa atividade e tão comum quanto perigosa, conformes pesquisas realizadas identificamos os seguintes casos com fatalidades relacionados a essa atividade:

No distrito de São José do Apuí, em Nova Monte Verde-MT,dois irmãos, de 44 e 40 anos, morreram intoxicados depois de caírem em um reservatório de combustível eles foram contratados para fazer a limpeza do reservatório de diesel, eles tinham uma empresa de limpeza e manutenção, o reservatório tinha aproximadamente 3 metros de profundidade e essa limpeza seria necessária para retomar as atividades paradas a um ano, no momento da limpeza um dos irmãos caiu dentro do tanque e ao inalar gás ficou desacordado, o outro ao ver o irmão desmaiado, também caiu no local e desmaiou. Ambos não usavam equipamentos de segurança, como máscaras, cinto de segurança, explosimetro, termômetro  ou cilindro de oxigênio entre outros. O proprietário do tanque de combustível também será responsabilizado pelo acidente.

( Disponível em http://g1.globo.com/mato-grosso/noticia/2015/11/homem-tenta-ajudar-irmao-e-os-dois-morrem-em-tanque-de-combustivel.html, acesso em 12 jan. 2016).

FIGURA 22: Acidente em reservatório de combustível

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Fonte: Foto: Bombeiros de Alta Floresta -MT.

 

 

 


Em Guaratinguetá-SP, dois trabalhadores morreram asfixiados e um foi hostilizado mais já recebeu alta, isso aconteceu depois de caírem dentro de um silo em uma fazenda produtora de arroz localizada. Um deles caiu acidentalmente pelo alçapão de um dos reservatórios onde é feita a secagem do arroz, o outro colega entrou no local para tentar socorrê-lo, mas acabou morrendo também,  provavelmente o terceiro trabalhador que tentou salvar os colegas, foi resgatado inconsciente e levado para o pronto e tinham respectivamente 42, 26 e 24 anos.Todos não usavam equipamentos de segurança necesserios na execução de trabalhos em espaço confinados previstos na NR33 e NBR 14787 e 1318. ( Disponível em http://g1.globo.com/sp/vale-do-paraiba-regiao/noticia/2015/04/dois-trabalhadores-morrem-em-acidente-em-fabrica-de-guara-sp.html, acesso em 12  jan. 2016).

 

 

FIGURA 23: Silo onde os trabalhadores caíram

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Fonte:  Foto: Divulgação  / Bombeiros – Guaratinguetá -SP.

 

 

 


Em Jardim Novo Mundo, em Goiânia-GO, o soldador Vanderlúcio de 40 anos, morreu no dia  31 de agosto de 2010, quando começou a soldar uma carreta tanque com capacidade de 35 mil litros a carreta estava carregada com gasolina do tipo Podium, que é mais volátil e que explodiu, o acidente ocorreu na região pólo da Petrobras. Segundo o comandante do Policiamento Urbano da 15ª Companhia Independente da Polícia Militar (CIPM), tenente Cleiton Pereira Lopes, no momento que o funcionário encostou o equipamento de solda no meio da carreta, ela explodiu. O procedimento de solda nesse tipo de recipiente deve fazer vaporização ou exaustão para retirar todo o vapor existente. “O vapor, nesse caso, é mais perigoso que o líquido. (Disponível emhttp://zonaderisco.blogspot.com.br/2010/09/explosao-mata-soldador.html, acesso em 25 jan. 2016).

FIGURA 24: Explosão mata soldador

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

Fonte: 15ª Companhia Independente da Polícia Militar (CIPM), Goiânia-GO.

 

 


     Portanto, nota-se que grande parte dos acidentes acontecem pela falta de informações dos perigos existentes em espaços confinados, conforme já mencionado todos poderiam ser evitados através das aplicações das normas ( NRs, NBRs entre outras), referentes a saúde e segurança do trabalhador em  espaços confinado que estabelecem; medidas preventivas, profissionais habilitadas, identificação dos riscos existentes, sinalização de segurança ou seja os equipamentos de proteção coletiva ( EPCs) para a segurança de todos os envolvidos . Fica visível o quão frágil ficamos diante do desconhecido, acidentes simples, rápidos, fatais e de difícil respostas de salvamento, em contra partida é também fácil perceber que uma simples mascara, um capacete, um cinto de segurança, uma corda que são alguns dos equipamentos de proteção individual (EPIs) para a proteção do trabalhador ou analise e gerenciamento dos risco que  aumenta de zero para quase cem por sento as chances de sobrevivência desses trabalhadores  em caso de um possível acidente com isso a aplicação das relacionadas a segurança e saúde do trabalhador são de extrema importância para a atividade ser feita de forma segura e responsável.

 

4  CONSIDERAÇÕES FINAIS

 

A aplicação das recomendações das normas de segurança referentesao espaço confinadopassanecessariamentena conscientização sobreotema eno sistema degestãodosmesmos.O conhecimentoinadequadodosriscosirácomprometer aaplicaçãodas respectivasmedidasde controle.Somente comumabasesólida,pode- seatingir oobjetivode salva e guardarvidasdetodososcolaboradores envolvidos   direta   e   indiretamente   nas   operações   em   espaços confinados.Ressalte-setambémqueomeroconhecimentodaNR33 - Segurança e Saúde nos Trabalhos Em Espaços Confinados, nãoésuficienteparagarantirasegurança,masdependendodocaso é necessáriaa consultaa outrasnormas.Hajavistaa extensãoqueos espaçosconfinados sãoencontrados em diversos setores produtivos, como, por exemplo: agricultura, pecuária entre outros.

Conforme os estudos realizados, concluímos que e impossível a execução deste se não aplicando todas as medidas exigidas pelas normas regulamentadoras este referido, NR 33, NBR 14787, NBR 1318que são de suma importância na atuação da atividade de um técnico de Segurança do Trabalho. A função deste profissional é priorizar a segurança e saúde dos trabalhadores das empresas que realizam essas e outras atividades, assim agregando valores para a nossa vida profissional e pessoal com base em todo o conhecimento que adquirimos decorrente a trajetória do curso técnico Segurança do Trabalho.   

 

 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

 

 

 

  ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR- 14787:Espaçoconfinado: Prevençãodeacidentes,procedimentosemedidasdeproteção.RiodeJaneiro, 2001.p. 3.

 

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR - 1318: Prevenção de acidentes em espaço confinado. RiodeJaneiro, 1990, p 1 á 3.

 

BRASIL, Ministério do Trabalho e Emprego, NR 33 Segurança e Saúde nos Trabalhos em Espaços Confinados. 74ª Edição 2014, item 33.1.2

 

BRASIL, Ministério do Trabalho e Emprego, NR 06 Equipamento de Proteção Individual - EPI. 74ª Edição 2014, item 6.1.

 

BRASIL, Ministério do Trabalho e Emprego, NR 07 Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional. 74ª Edição 2014, item 7.4.3.1.

 

MANUALDESEGURANÇAESAÚDENO TRABALHO.Normas Regulamentadoras:NRs–10ªedição.SãoCaetanodoSul, SãoPaulo:Difusão Editora;RiodeJaneiro:EditoraSENAC RIODEJANEIRO,2013.

 

REVISTAPROTEÇÃO.NovoHamburgo:Proteçãopublicaçõeseeventos,

2015,Edição 278,Rio Grande do Sul,2015.

 

REVISTAPROTEÇÃO.NovoHamburgo:Proteçãopublicaçõeseeventos,

2015,Edição 185,Rio Grande do Sul, 2012.

 

REVISTAPROTEÇÃO.NovoHamburgo:Proteçãopublicaçõeseeventos,

2015,Edição 207, Rio Grande do Sul,2009.

 

GONÇALVES,EdwarAbreu.Segurança eSaúdeno trabalho em2000 perguntas erespostas.5ª edição,SãoPaulo,LTr,2013.

 

TAVARES, Cláudia Régia Gomes. Equipamento de Proteção Coletiva – EPC,Trabalho de Campo: Inspeção Técnica de segurança,Universidade Federal do Rio Grande do Norte - UFRN,2009).

 

CASOSDEACIDENTESEMESPAÇO CONFINADODE1993A2001. Disponívelem: http://bombeiroswaldo.blogspot.com.br/2011/10/casos-de-acidentes-%20em-espacos.html,  acessoem30desetembrode2015.

 

EspaçoConfinado–o quevocêprecisasaberparaseprotegerde acidentes? Disponível em https://maesso.wordpress.com/2011/10/13/espaco-confinado-o-que-%20voce-precisa-saber-para-se-proteger-de-acidentes,  acessoem 30 set 2015.

 

Tanques de Armazenamento. Tipos de Tanques. Disponível emhttp://www.reformadoraalves.com.br/index_arquivos/Page1490.htm, acesso em 29 Out. 2015.

 

Silos e sua Construção. Classificação Geral. Disponível em:http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0071-12761948000100001&script=sci_arttext, acesso em 29 Out. 2015.

 

Espaços Confinados - Tubulão. Trabalhos em espaços confinados na construção de fundação profunda (tubulões). Disponível emhttp://www.trabalhosfeitos.com/ensaios/Espa%C3%A7os-Confinados-Tubul%C3%A3o/301062.html, acesso em 29 Out. 2015.

 

Ambiente Energia – Biodigestores. Ambiente Brasil. Disponível em http://ambientes.ambientebrasil.com.br/energia/artigos_energia/biodigestores.html,  acesso em 29 Out. 2015.

 

Operações em Galerias Subterrâneas - MSTE – MANUAL DE SALVAMENTO TERRESTRE. Fonte: Corpo de Bombeiros Militar do Estado de São Paulo, 2015.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

3 Acessos Fale com o autor