Registro de Direito Autoral – Texto Registrado - Cabeçalho Registro de Direito Autoral – Texto Registrado - Cabeçalho

Esta Obra está Registrada em nome do autor Dalva da Trindade S. Oliveira (Dalva Trindade) sob o número 145315698860777000, o autor tem um Certificado Digital de Direito Autoral que atesta este registro.
MISSA VELANA -- 2016-01-18 - 20:43:08 (Dalva da Trindade S. Oliveira (Dalva Trindade))
Nova pagina 3
MISSA VELANA
 
 
Passeando por uma Cidade que conhecera naquele momento, Sophia chegou a uma igreja, com mais companheiros de viagem. 
Muitas pessoas já estavam nesta igreja, que se encontrava na penumbra. A única parte iluminada era a do altar da celebração... Toda iluminada por velas. 
Sophia usou este detalhe como argumento para explicar às pessoas que estavam com ela que aquela era uma Missa Velana.
Inicialmente, todos se aproximaram da Igreja, ou do Templo antigo (parecia algo da época medieval) como se estivessem em outro ambiente, separado da área principal. Sophia comentava que a Missa Velana era um costume antigo naquela Região, embora ela não conhecesse o rito.
Ela via que se aproximavam para a esquerda, na direção da construção principal da Igreja, até haver a união dos ambientes. 
Repentinamente, Sophia percebeu que não existia mais a parede que os separava do altar e o seu grupo formava a terceira fila de pessoas, nas cadeiras à direita, em frente à mesa da celebração. 
Não tinham conhecimento  se chegaram no início ou final da Missa. O Ministro Celebrante – um senhor idoso de cabelos lisos, brancos e meio desarrumados, cortados na altura das orelhas – iniciou uma caminhada entre as pessoas presentes (como fazem os padres carregando o ostensório para a bênção), exatamente no corredor formado entre duas filas de cadeiras, com Sophia em uma delas.
Ela ficou ansiosa esperando que o ministro passasse próximo, e ele passou. Quando a viu, ele encostou  em suas mãos um pano branco enrolado (diria melhor, embolado).
Sophia, muito feliz, segurava as mãos do senhor idoso, beijava e cheirava o pano - que não tinha qualquer odor – dizendo repetidamente:
- Obrigada Jesus, obrigada Jesus, Obrigada Jesus...
Foi um momento muito bonito e inesperado, onde o centro do sentimento era a fé e a gratidão.
Sophia e todos os que estavam com ela e presenciaram o fato sairam do templo admirados e contentes, mesmo sem muitas explicações sobre o significado real da Missa Velana e do que nela ocorreu.
 
            Dalva da Trindade S. Oliveira
                   (Dalva da Trindade)
                24.07.2005/17.12.2015
2 Acessos                                                                                      Fale com o autor
                       

VDF Distribuição de Alimentos

 
Este site é um produto da Marquei Soluções Internet Ltda - QD 301 RUA D CONJ 02 LT 5/6 S. 303 - BRASÍLIA - DF - 71901-110
CNPJ: 04.343.779/0001-07       -  contato@textoregistrado.com.br